Medicina do trabalho


A Medicina do Trabalho tem sua preocupação na prevenção das doenças ocupacionais e na promoção da saúde e da qualidade de vida. As condições de trabalho podem ser fatores de comprometimento da saúde dos trabalhadores e a Ergonomia é uma preocupação constante. Quando pensamos em Ergonomia, geralmente associamos essa ideia aos trabalhadores que desempenham suas atividades em linhas de produção nas fábricas, aos que trabalham com levantamento e carregamento de pesos, esforços excessivos, etc.


Ocorre que mesmo em funções administrativas, os riscos ergonômicos também estão presentes, determinados pelo mobiliário e pelas posturas inadequadas. Nesse sentido, nossa maior preocupação recai sobre as poltronas, pois passamos a maior parte do dia sentados, em frente às mesas de trabalho, computadores, telefones e outros aparelhos e equipamentos. As poltronas operativas e executivas, até então relegadas a segundo plano, devem ser nosso maior foco de preocupação. Uma poltrona inadequada pode produzir, ao longo do dia, dores nas regiões cervical, dorsal e lombar, dores nos membros superiores e inferiores. Além disso, tais condições também podem determinar o comprometimento do aspecto mental e emocional, como fatores geradores de estresse no ambiente de trabalho.

 

Dessa forma, nossas preocupações se voltam para as características adequadas que devem estar presentes em uma poltrona operativa ou executiva, para que ela seja considerada realmente ergonômica, ou seja: encostos reguláveis em altura, controle de mobilização anterior e posterior tanto do assento quanto do encosto, braços reguláveis, assento anatômico e regulável em altura com bordas frontais arredondadas e rodízios. Porém, a simples menção de possuir tais características não é suficiente. O principal é que conheçamos a qualidade do produto e, principalmente, a competência do fabricante. Nesse sentido, a Flexform destaca-se, pois, além de possuir excelente padrão de qualidade, preocupa-se em agregar valor ao seu produto através de investimento em “design”, transformando cada poltrona em uma obra de arte, contribuindo para uma melhor condição de trabalho, o que, certamente, se reflete na produtividade e no bem-estar dos trabalhadores, independente das funções ou atividades desempenhadas.

 

Quando o mobiliário é Flexform, os Médicos do Trabalho ficam tranquilos, porque os trabalhadores certamente estão exercendo suas atividades em condições adequadas e a qualidade de vida e a produtividade estarão garantidas.

Dr. Clovis Corrêa BucichDr. Aizenaque Grimaldi de Carvalho


Presidente da Associação Paulista de Medicina do Trabalho.

Presidente do Departamento de Medicina do Trabalho da Associação Paulista de Medicina.

Diretor da Empresa NR - Assessoria Empresarial.

Professor de Cursos de Pós-graduação de Médicos do Trabalho e de Engenheiros de Segurança do Trabalho.

 

Notícias